confident-team-of-engineers-working-together-in-a-PFW37D2-min.jpg
DIGCONT

DIGCONT

Contabilidade Digital

A importância do planejamento tributário e fiscal anualmente

Nas grandes Instituições Econômicas, são traçados os Planejamentos Orçamentários, Fiscais e Tributários em conjunto com o Planejamento Estratégico, cujas metas e objetivos são realizadas em previsões de 3 a 5 anos e revistas a cada etapa anterior ao fechamento do exercício.

Nas Micro, Pequenas e até em várias Médias Empresas do país, esse cenário é quase que descartado, haja vista à necessidade e variedade de profissionais aos quais devam estar engajados nesse processo, que vai desde o Controller, Gerentes Operacionais, Gerentes Gerais, C.E.O. e vários Consultores e Assessores de áreas específicas, para poder extrair as informações necessárias para daí montar o diagnóstico e perfil da empresa e montar todas as informações  para que se chegue a um nível máximo de assertividade dessas previsões anuais com seus ajustes, fator esse que geram auto custos nas instituições de menor porte, ficando inviável a sua utilização nesses patamares.

Mas, quem disse que essas empresas não podem também, de uma forma mais simplória, avaliar o seu cenário Tributário e Fiscal, além do cenário Operacional e demais necessários para o seu crescimento utilizando poucos recursos e com muito boa vontade de crescer?

Analisando apenas o Tributário e Fiscal, você poderá contar com o papel primordial de um bom Profissional da Contabilidade, desde que esse esteja preparado para exercer essa função nos dias atuais; o da Consultoria Consultiva agregado à necessidade de passar informações de gestão para o seu negócio de forma mais tempestiva e antenada, claro que para isso o empresário tem que fornecer os elementos corretos e necessários para que essas etapas possam acontecer.

No caso do Planejamento Tributário, é essencial que se trabalhe no exercício anterior a análise de toda a organização da entidade, no intuito de se galgar em exercícios futuros uma melhor visão de opção para uma Tributação para o Lucro Real por exemplo, pois a empresa quanto mais organizada em seus padrões operacionais, tem maior controle e capacidade de apreciação para poder gerir esses dados com maior precisão. Outro aspecto está no mercado, na capacidade de saber se há necessidade de crescimento ou investimento em novas atividades econômicas, as quais possam levar a empresa a optar por outras formas de tributação como um regime do Simples Nacional ou partir para um Lucro Presumido e vice-versa, claro analisando nesse contexto o trabalho da Elisão Fiscal, que é se pagar de forma lícita um quantitativo de tributos menor, diante do cenário ao qual se está analisando.

E é diante dessas demandas, que entra nossa equipe de trabalho nessa e em outras áreas da contabilidade, estando preparadas para melhor lhes atender, e, em conjunto com o empresário e o seu negócio, sugerir o melhor caminho ao qual deva seguir, onde depende mais do empreendedor e de sua força de vontade de querer mudar e galgar novos espaços.

Gostou? Venha nos fazer uma visita que lhes diremos muito mais!
Entre em contato agora clicando aqui!

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email